A Visão de Francisco Pereira

0 Posted by - 4 de Julho de 2013 - Opinions

A visão de Francisco Pereira, Director de Research da Carat Portugal, sobre as novas tendências de publicidade.

Q: Na nova era publicitária mundial como se interliga a media tradicional com a comunicação internet?
R: Mais que a media tradicional interligada com a comunicação internet, eu diria com a comunicação digital, sendo esta mais abrangente que a internet propriamente dita. O espaço que a internet/digital tem vindo a ganhar é sintomático da importância do mesmo. Cada vez assistimos mais por parte de anunciantes, marcas ou empresas a uma estratégia que assenta simultaneamente, e com tendência para o equilíbrio, nestas 2 formas, a media tradicional e a media digital. Sendo um espelho da sua própria área de negócio e posicionamento. Quero dizer com isto, que para lá da comunicação propriamente dita, também as empresas alteraram a forma de fazer negócio e vender os seus produtos/serviços, socorrendo-se destas plataformas digitais (páginas de facebook, quiosques interativos, apps para venda, sites de e-commerce, …) ao contrário das formas tradicionais de escoar os seus produtos (lojas físicas, representantes ou vendedores no terreno, …). As plataformas digitais/internet revelam-se fundamentais nos dias de hoje seja pela distribuição e vendas do produto, seja no contacto com o consumidor, seja na análise e entendimento (research) das tendências e comportamento dos consumidores. As 2 formas de comunicação revelam-se complementares até pelo próprio consumo dos meios por parte dos consumidores, cada vez mais multitasking, cada vez mais fragmentado.

Q: Em Portugal como vê esta associação?
R: Bastantes bons exemplos de integração e bastantes maus exemplos de integração. O bom é que está a acontecer um esforço de integração e associação entre estas 2 áreas (vamos chamar assim). Os maus exemplos de integração resultam na escolha de parceiros ou falta deles, que não entendam essa linguagem convergente. Muitas vezes as marcas tentam esta integração utilizando recursos mais “caseiros” numa tentativa de não haver grandes investimentos, até porque sejamos realistas lutam com menos budgets. A estratégia da marca e/ou da companhia tem de refletir esta nova era (a digital), e os recursos internos, áreas (de marketing, distribuição, comunicação, …) têm de estar preparados por forma a responder e incorporar estas plataformas. Vivemos numa era global e parte do nosso sucesso passa pela internacionalização e procura de mercados globais, e o digital/internet são fundamentais para isso.

Q: Que projeto publicitário identifica como referência de qualidade em Portugal? E no estrangeiro?
R: Tenho um defeito, (ou será qualidade), da necessidade enorme de procurar, procurar, procurar cases e exemplos. Acho que ainda podem haver formatos de “pneus” diferenciadores, mas a roda já foi inventada. Como tal procuro dentro de alguns sites de referência esses mesmos exemplos. Ficam aqui alguns sites que será seguramente mais útil do que estar a identificar determinada marca. Até porque como se mede esse sucesso ou referência? É subjetivo dependendo do ponto de vista de quem olha.

http://www.ayr-consulting.com

http://scienceofthetime.com/

http://www.springspotters.com/

http://www.trendwatching.com/

http://www.ted.com

http://mashable.com/

Alguns exemplos que vou apanhando e acho relevantes vou colocando neste grupo do facebook (http://www.facebook.com/groups/mediacriativa/)

Q: O que pensa do retail como forma de impactar os clientes?
R: Fundamental, até porque a compra e materialização tem de ser feita. No POS (Point of Sale) é preciso estar e comunicar com o consumidor. Pode é acontecer que seja cada vez menos físico e mais virtual esse retail. Existem categorias e/ou produtos que têm feito o seu “shift” e mudança do físico para internet/digital (exemplo: viagens, livros, música, bilhetes, jogos, …). E outras em que a internet é fundamental como processo de apoio e decisão em loja física (bancos, automóvel, seguros, tecnologia, …) e aquelas em que nunca deixarão de ser em forma física ou dificilmente haverá compra virtual (gasolineiras, comércio, alimentação,…). Estar nesse POS pode passar por uma presença física (promotora com degustação de produto, um outdoor, in-store media, …) ou em lojas virtuais (display advertising, behaviour marketing), ou exemplos poderosos com a Amazon, comprou este produto vai gostar deste.

Q: Como vê a utilização de tecnologias digitais aplicadas ao ponto de venda?
R: Para mim, hoje em dia é fundamental:
- Por um lado: o GeoMarketing; utilização de plataformas e redes sociais como Foursquare, Instagram, TripAdvisor ou outras – onde o check-in, dicas (tips), rates, melhoram a experiência e ajudam na decisão, na escolha de determinado produto, de determinado lugar.
Esta geolocalização e geomarketing, permite também entregar conteúdo e comunicação de forma mais segmentada. Ex. se estiver em determinado centro comercial, é espectável que receba comunicação de determinada loja, com alguma promoção a decorrer. Constituem também um óptimo veículo para obter feed-back dos clientes, em vez de esperar pela tradicional sugestão, ou reclamação, estas redes dão valiosas informações acerca do consumo, gostos, preferências, …
- Por outro lado, a tecnologia propriamente dita aplicada ao ponto de venda, painéis digitais, interativos, mesas de restaurante interativas, montras animadas, … a experiência de consumo no POS aumenta consideravelmente pela utilização destas tecnologias, aumentando seguramente as vendas.

Francisco Pereira